segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Uma história exemplar nos dias de hoje


Um amigo do António, chamemos-lhe Zé, pediu~lhe um conselho sobre um automóvel em segunda mão que queria comprar. O António e o Zé sempre foram muito amigos e o Zé considerava o António um homem de confiança, correcto , frontal e conhecedor do assunto, daí o pedido que lhe fez.
Ora o António foi ver a viatura e não gostou nem da parte exterior, a pintura estava velha e riscada e o modelo era demasiado antigo assim como o motor lhe deixava tremendas dúvidas porque nem o motor de arranque funcionava.
António viu manifestamente que o carro não prestava e que o Zé iria certamente fazer um mau negócio. Daí que, pensando maduramentre no assunto, foi ter com o dono do stand e exigiu-lhe, para defesa do amigo, que lhe desse a garantia de que o carro nunca griparia. Ora o dono do stand disse-lhe logo que sim...enquanto for palavreado nada a opor.
O António foi ter com o Zé e disse-lhe então que o carro era um verdadeiro chasso e que não lhe devia durar mais que 6 meses mas que ele falara com o dono do stand que lhe afirmou, de viva voz, que o carro nunca griparia.
Desse modo, ele António, achava que o Zé podia comprar o carro mas que o melhor que podia fazer era deixá-lo parado à porta não fosse a viatura avariar em qualquer deslocação e já não tivesse arranjo;
asssim nunca teria a maçada, inclusivé, de pedir que o vendedor cumprisse a garantia.
O Zé achou estranha a proposta do seu grande amigo, mas pelo sim pelo não, amigos amigos negócios àparte, preferiu não seguir a indicação do António e foi procurar outro stand e outro amigo que soubesse de automóveis.
Não sei porquê  mas esta história lembra-me qualquer coisa...

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...