quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

E de novo, Yevgeny Vinokurov

Adão
(Adam)

Com uma expressão vaga olhando em volta,
Nesse primeiro dia pisou a relva
E deitou-se à sombra da figueira e, pondo
as mãos atrás da nuca, adormeceu.

E dormiu suavemente. E dormiu tranquilamente
Sob o silêncio do azul do Éden.
...Num sonho viu os fornos de Auschwitz
E cadáveres empilhados em fossas.

Foram os seus filhos que ele viu. E naquele bem-aventurança
Houve um sorriso brilhante no seu rosto.
Adormeceu sem compreender nada,
Ainda sem saber distinguir o bem do mal.

Yevgeny Vinokurov - Antologia da Poesia Soviética
Ed. Futura - 1973

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...