Pular para o conteúdo principal

Pronto, Manel ! E agora ?

O PS deu o seu apoio formal e institucional à candidatura de Manuel Alegre. Pelo que se conhece as estruturas do Partido , na sua grande maioria, apoiam inequivocamente o candidato o que pressupõe que lhe darão o necessário apoio no desenvolvimento da campanha. O mesmo se espera do BE.
Já se sabe que o PCP, pelo menos na sua fase inicial, apresentará um candidato para unicamente  ter tempo de antena para desenrolar a cassette habitual. Numa segunda volta, e penso que sempre a contragosto - votar nun candidato socialista é doloroso para o PCP e por outro lado dá-lhe mais rendimento ter um PR de direita no Palácio de Belém -  lá darão o seu voto a Manuel Alegre, mesmo tapando a fotografia, e para que no fim ainda possam colher alguns louros de uma possível victória. O PCP vence sempre...
Mas, e agora Manuel Alegre ?
É tempo de vir cá para fora e dar a todos os que já se definiram claramente em termos de voto e fundamentalmente a todos os outros que  se encontram indecisos, e porque não dizer confusos, as linhas mestras de um programa de acção que justifique a opção pela sua candidatura.
Esse programa deve ser feito pela positiva; não através das quebras do principal adversário - Cavaco Silva - e das suas constantes falhas, nem dos frutos que uma improvável nova candidatura à direita poderiam trazer.
Também sabemos que existe uma outra candidatura, tida como tendo invadido a mesma área ideológica, a do Dr. Fernando Nobre. É discutível que seja da mesma área ideológica. O Dr. Fernando Nobre, politicamente, e sublinho politicamente, é um cidadão que se tem distinguido pelo apoios aos mais diversos  candidatos de diferentes partidos da direita à extrema esquerda. Não é, certo, um modelo de coerência ideológica, daí o considerar acima de tudo um populista além do seu pecado original de base, o ser monárquico.
Daqui, o grande trabalho que Manuel Alegre tem pela frente. Unir o que, é verdade, desuniu; manter o que anteriormente conseguiu; partir para o país à procura dos indecisos e daqueles que , à partida, não lhe querem dar o voto.
Não é pequeno nem fácil o trabalho, mas é possível. A ver vamos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sonhar a terra livre e insubmissa

E volto aqui sempre que posso, enche-me o peito...
E cada vez mais do que nunca...

Retrato de Manuel Alegre

Alegre   Manuel   alegre até à morte
que lindo nome para um homem triste
que lindo nome para um homem forte.

Alegre   Manuel   despedaçado
pela espada da língua portuguesa:
a palavra saudade   a palavra tristeza
a palavra futuro   a palavra soldado
Alegre   Manuel   aberto cravo
aos ventos da certeza.

Alegre   Manuel   aqui mais ninguém fala
tão alto como tu   ninguém se cala
com essa dor serena e construída
não apenas de versos   mas de vida.

Alegre   Manuel   as línguas do teu canto
ateiam-nos fogo.
Neste lugar de lama e desencanto
tornas vermelho o povo.

José Carlos Ary dos Santos
fotos-grafias
Quadrante - 1970

Face a um desafio

"Si le hubiera cortado las alas habría sido mío, no habría escapado. Pero así, habría dejado de ser pájaro y yo, yo lo que amaba, era el pájaro."
Joxean Artze.



Pedi-te sempre que não olhasses para trás. Tu sabias que te queria demais, na totalidade, por dentro e por fora, só para mim e sem deixar nem um pouco para ti. Tu existias para que eu existisse queria-te sempre a voar ao meu redor, era eu o teu único destino...
Foi apenas isto que te obriguei a interiorizar por isso , num equívoco, deixei-te esvoaçar e tu não voltaste, seguiste e cumpriste, nem olhaste para trás...
Aí, entendi como era falso... Descobri, já só, que afinal eras tu o meu destino, que te amava por ti e apenas por ti. Descobri que as minhas mãos apenas têm dedos e não tenazese os meus braços apenas abraçam não agrilhoam;
o muito querer nem só tudo aceita, nem só tudo exige, o amar é dar e aprender.
Agora... só, olhando cada dia que nasce, repondo lá longe a linha do horizonte, sejas tu o Sol ou apenas o meu Sol, espero ansiosa…