sábado, 22 de janeiro de 2011

Em dia de reflexão (II)

Não me basta a alegria que me basta.
Tenho necessidade de ganhá-la.
Alheio, o coração não se me cala,
tanto mais alto quanto mais se arrasta.
É muita a gente, mas a terra é vasta
para lhe dar abrigo e alimentá-la.
Sabe-o a simples mãe que um filho embala.
Sabe-o quem da razão se não afasta.
São uns donos de tudo, outros de nada.
Esta desigualdade é que é errada.
A riqueza porque anda repartida ?
De todos só o será , se de ninguém.
Antes que o seja, que importância tem
falar-se de comum direito à vida ?

Armindo Rodrigues - Tamanho Natural - 1976
Ed. Soc. Expansão Cultural

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...