sábado, 12 de julho de 2008

O beijo

O meu amor deu-me um beijo
e nasceu um rio de madrugadas
que desaguaram sobre o peito.

Um renascer
em que se adormece ao sol do sonho
deitados de costas no chão
respirando o hálito fesco da terra ainda húmida.

Bendito campo
pobre de terra mas cheio de vida
que acena aos pássaros com as suas mãos de espiga
e agradece às raizes o dom da seiva.

Hoje,
os rios libertam as sereias
e o seu canto de harpa mágica
e as colinas rasgam o céu
com a força desmedida da terra-mãe.

O meu amor está em festa
cumpre-se a vida na colmeia
renasce o sol
e quere-se a lua.

4 comentários:

Rocket disse...

excelente!

andam aí tudos à volta da sex life das abelhas que somos enquanto ainda não terminaram o capítulo sobre o beijo... bom domingo!

T.Mike disse...

Bem verdade, mas entretanto deseja-se a Lua, seja lá o que isso representa...


Atento, venerador e obrigado...

Mlee disse...

Ai ... um dos meus temas preferidos :) o beijo. Lindíssimo.

T.Mike disse...

Obrigado, mlee, ainda bem que vais gostando.
Quanto ao beijo, se na maioria das vezes é o princípio de alguma coisa muitas outras é o fim disso ou de tudo....

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...