Pular para o conteúdo principal

Pois, pensavamos nós

que a partir de segunda feira poderíamos  recomeçar a pensar os problemas deste país de uma forma mais calma e construtiva .
Pura mentira.
Tudo o que rodeou, nos últimos meses, a campanha eleitoral para as Legislativas, e também o seu resultado, somado a todo o burburinho causado pela campanha das Autárquicas, não vai deixar, até pelas consequências das tomadas de posição de alguns dos seus principais protagonistas,  que o nosso desígnio se venha a cumprir.
De facto, e o resultado das Autárquicas não é assim tão condicionador quanto isso, apenas pode servir para sarar algumas feridas e deixar outros a lambê-las durante algum tempo, a nova composição da Assembleia da República e o que daí advém (falta saber hoje os resultados da Emigração), não deixa grande margem para a acalmia da sociedade.
Acresce que, quebrada a confiança na actual Presidência da República, no seu papel arbitral, na sua contenção, no seu discernimento, todos os cenários previsíveis podem vir a ser alterados, aumentando, ainda mais, esta sensação de instabilidade que se acercou da política portuguesa.
Apresenta-se-nos até a hipótese de, terminada esta fase eleitoral, ser iniciada, fora de tempo porque muito antecipada, a campanha para as presidenciais. Já hoje houve noticia num jornal, pelo menos, da vontade do actual PR se recandidatar. Por tudo o que o tem rodeado, ultimamente, não vai ser pacífico, mesmo dentro do seu próprio partido, pelo que, também por aqui, a instabilidade se verá. Claro, desde que o PR não resigne, o que  é previsível .
Assim, o trabalho não abranda, talvez até pelo contrário, aumente. E os problemas do País, esses a que nos deveríamos dedicar de forma ponderada a partir de dia 12 próximo, ficarão para segundo plano a não ser que imponhamos, nós, a quem de direito a obrigação de lhes dar primeira prioridade.
Mas será que acredito que isso possa suceder ou será , apenas, que quero acreditar...

Comentários

Manuela Araújo disse…
Caro T. Mike

Peço desculpa de aqui falar de um assunto que não tem a ver com o "post", mas ando intrigada com um assunto: saberá porque aparecem nas postagens lá do meu blogue Sustentabilidade É Acção hiperligações para o seu blogue?
Eu percebo pouco de hiperligações, mas como não vejo qualquer referência no seu blogue ao meu, isto está-me a pôr confusa.
Desculpe a minha "confusão", é só para ver se entendo.
Obrigada
Cumprimentos

Postagens mais visitadas deste blog

Sonhar a terra livre e insubmissa

E volto aqui sempre que posso, enche-me o peito...
E cada vez mais do que nunca...

Retrato de Manuel Alegre

Alegre   Manuel   alegre até à morte
que lindo nome para um homem triste
que lindo nome para um homem forte.

Alegre   Manuel   despedaçado
pela espada da língua portuguesa:
a palavra saudade   a palavra tristeza
a palavra futuro   a palavra soldado
Alegre   Manuel   aberto cravo
aos ventos da certeza.

Alegre   Manuel   aqui mais ninguém fala
tão alto como tu   ninguém se cala
com essa dor serena e construída
não apenas de versos   mas de vida.

Alegre   Manuel   as línguas do teu canto
ateiam-nos fogo.
Neste lugar de lama e desencanto
tornas vermelho o povo.

José Carlos Ary dos Santos
fotos-grafias
Quadrante - 1970

Face a um desafio

"Si le hubiera cortado las alas habría sido mío, no habría escapado. Pero así, habría dejado de ser pájaro y yo, yo lo que amaba, era el pájaro."
Joxean Artze.



Pedi-te sempre que não olhasses para trás. Tu sabias que te queria demais, na totalidade, por dentro e por fora, só para mim e sem deixar nem um pouco para ti. Tu existias para que eu existisse queria-te sempre a voar ao meu redor, era eu o teu único destino...
Foi apenas isto que te obriguei a interiorizar por isso , num equívoco, deixei-te esvoaçar e tu não voltaste, seguiste e cumpriste, nem olhaste para trás...
Aí, entendi como era falso... Descobri, já só, que afinal eras tu o meu destino, que te amava por ti e apenas por ti. Descobri que as minhas mãos apenas têm dedos e não tenazese os meus braços apenas abraçam não agrilhoam;
o muito querer nem só tudo aceita, nem só tudo exige, o amar é dar e aprender.
Agora... só, olhando cada dia que nasce, repondo lá longe a linha do horizonte, sejas tu o Sol ou apenas o meu Sol, espero ansiosa…