Pular para o conteúdo principal

Do apelo da Ana ao meu "porque sim"


Afinal, depois de muito pensar, assinei o "Compromisso de Esquerda".
E assinei "porque sim", porque gostaria de futuro de ver uma esquerda portuguesa unida no essencial e não na disputa de quintas ideológicas, que embora dêem muito gozo à filosofia, nada acrescenta de objectivo aos principios fundamentais que nos norteiam como "gente de esquerda" .
E "porque sim", porque , embora não acredite que se chegue a algum lado, dado o extremar de posições recentemente apresentado pelos mais altos representantes dos partidos parlamentares de esquerda, seria muito importante, também, que soubessem que existe "gente de esquerda " que discorda do seu imobilismo negocial e da sua prioridade aos conceitos, muitos deles sem qualquer aplicação prática na política global de hoje.
E "porque sim" porque demasiadas vezes vem ao meu pensamento o ex-operário, sindicalista e dirigente o Partido dos Trabalhadores do Brasil, e hoje Presidente daquele país, Lula da Silva.
Ninguém dirá que não é um homem de esquerda, que não desenvolveu políticas de esquerda, mas também que soube ver o país que governava, e os problemas que tinha de enfrentar e resolver face à conjuntura política e económica mundial, tendo consciência dos terrenos que podia pisar e os que não devia. Daí e contra todas as expectativas, Lula da Silva, incluiu o Brasil no rol das grandes potencias económicas e políticas, respeitado e ouvido. Filosoficamente de esquerda não deixou, contudo, que a filosofia lhe tolhesse o discernimento político, e com isso quem ganhou foi o povo brasileiro e fundamentalmente os mais desfavorecidos.
Foi por tudo isto, Ana, "porque sim"

Comentários

Ana Paula Fitas disse…
T. Mike,

Tocada e comovida por ler um texto tão sentido e tão intenso, são poucas as palavras que me ocorrem... por tudo isso e "porque sim", T.Mike,é uma honra fazer a caminhada com tão bom Companheiro e Mestre ao nosso lado!... claro que farei link no próximo Leituras Cruzadas... até porque este post é o melhor dos prémios que alguém pode almejar :)
Um grande, imenso e sincero abraço,
Ana
T.Mike disse…
Obrigado, Ana Paula,
mas chego a ficar confundido com tanta benevolência.
Um sincero abraço.
Lua dos Açores disse…
Gostei muito deste texto: lúcido. FIco muito aborrecida quando amigos meus brasileiros me mandam piadinhas e piadonas a propósito de Lula. Já proibí mesmo alguns de mas mandarem. Gostei muito do seu porque sim.

Abraço
Ana
T.Mike disse…
Obrigado, Lua,
já a contactei via e-mail.

Postagens mais visitadas deste blog

Sonhar a terra livre e insubmissa

E volto aqui sempre que posso, enche-me o peito...
E cada vez mais do que nunca...

Retrato de Manuel Alegre

Alegre   Manuel   alegre até à morte
que lindo nome para um homem triste
que lindo nome para um homem forte.

Alegre   Manuel   despedaçado
pela espada da língua portuguesa:
a palavra saudade   a palavra tristeza
a palavra futuro   a palavra soldado
Alegre   Manuel   aberto cravo
aos ventos da certeza.

Alegre   Manuel   aqui mais ninguém fala
tão alto como tu   ninguém se cala
com essa dor serena e construída
não apenas de versos   mas de vida.

Alegre   Manuel   as línguas do teu canto
ateiam-nos fogo.
Neste lugar de lama e desencanto
tornas vermelho o povo.

José Carlos Ary dos Santos
fotos-grafias
Quadrante - 1970

Face a um desafio

"Si le hubiera cortado las alas habría sido mío, no habría escapado. Pero así, habría dejado de ser pájaro y yo, yo lo que amaba, era el pájaro."
Joxean Artze.



Pedi-te sempre que não olhasses para trás. Tu sabias que te queria demais, na totalidade, por dentro e por fora, só para mim e sem deixar nem um pouco para ti. Tu existias para que eu existisse queria-te sempre a voar ao meu redor, era eu o teu único destino...
Foi apenas isto que te obriguei a interiorizar por isso , num equívoco, deixei-te esvoaçar e tu não voltaste, seguiste e cumpriste, nem olhaste para trás...
Aí, entendi como era falso... Descobri, já só, que afinal eras tu o meu destino, que te amava por ti e apenas por ti. Descobri que as minhas mãos apenas têm dedos e não tenazese os meus braços apenas abraçam não agrilhoam;
o muito querer nem só tudo aceita, nem só tudo exige, o amar é dar e aprender.
Agora... só, olhando cada dia que nasce, repondo lá longe a linha do horizonte, sejas tu o Sol ou apenas o meu Sol, espero ansiosa…