quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

"Z" - António Maria Lisboa



                              Z

As formas, as sombras, a luz que descobre a noite
e um pequeno pássaro

e depois longo tempo eu te perdi de vista
meus braços são dois espaços enormes
os meus olhos são duas garrafas de vento

e depois eu te conheço de novo numa rua isolada
minhas pernas são duas árvores floridas
os meus dedos uma plantação de sargaços

a tua figura era ao que me lembro
da cor do jardim.

(Ossóptico e outros poemas)

8 comentários:

mdsol disse...

:)

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

mdsol,
um :-) também para si.

Maria Josefa Paias disse...

Não conhecia. Obrigada Miguel por tê-lo publicado.
Um abraço.

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

Maria Josefa,
só há relativamente pouco tempo tive a possibilidade de ter acesso à poesia de AML.
Como bom surrealista é para se ler mastigando as palavras e descobrindo as imagens.
Gostei imenso deste.
Um abraço.

Fada do bosque disse...

Que lindo... mesmo surrealista.
Não conhecia. :)
Obrigada e um abraço.

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

Fada do Bosque,
ainda bem que gostou.Com sensibilidade artística, como é o seu caso, torna-se mais belo ainda.
Um abraço.

Paulo Assim disse...

Grande poeta: conheço e gosto!

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

Paulo Assim,
Obrigado pela visita.
Quanto ao AML, como é visivel, também gosto.
Pena é que tenha tido uma vida tão curta.
É bom para ler devagar e saborear.
Um abraço.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...